lucas arantes

http://www.myspace.com/lucasarantes

linguagem, fala: linguagem

with one comment

Tive o privilégio de receber este mês no “Café Filosófico” da 8º Feira do Livro de Ribeirão, a poeta Alice Ruiz para um bate-papo com o público. Era um sábado pela manhã, mas as pessoas permaneceram em peso.

 

Alice Ruiz é de uma família de poetas. Viúva do grande Paulo Leminski e mãe de Estrela Ruiz Leminski, co-autora de “Cupido: Cuspido e Escarrado”.

 

Conversamos sobre o hai-kai ocidentalizado e sobre como vencer a dificuldade de intelectualizar o poema, já que o hai-kai é mais sentido e menos racionalizado.

 

“Lembra o tempo que você

sentir

e sentir era a melhor

forma de saber

e você nem sabia?”

 

Tive ainda o privilégio de mediar outros grandes encontros, como com o carismático poeta diplomata Francisco Alvim (que em breve postarei um vídeo sobre poesia que Chico Alvim proferiu), com os jovens escritores Daniel Galera (www.ranchocarne.org) e Santiago Nazarian (www.santiagonazarian.blogspot.com) e com o lingüista Sergio Freire (www.sergiofreire.com.br), que discorreu um discurso cativante sobre o uso e o “prazer” da linguagem (estou aguardando ansioso o livro de sua autoria: “Conhecendo a Análise do Discurso: Linguagem, Sociedade e Ideologia”). Posto abaixo um vídeo em que Leminski elabora um discurso sobre esse “prazer” lingüístico:

 

 

Freire elaborou ainda um provocante debate em contraponto a outro convidado para falar sobre língua na 8º Feira do Livro de Ribeirão: o professor Pasquale Cipro Neto. Pasquale defende a língua portuguesa e o seu uso “correto” e teve grande popularidade quando fez propagando do McDonald’s (se alguém tiver esse vídeo, por favor, me envie). Veja o que Freire escreveu em seu endereço eletrônico:

 

“Quanto à minha participação (na feira do livro de Ribeirão), falei de linguagem, claro. Tive como foco desconstruir a idéia que considera a língua padrão como o único registro correto e os demais registros como “errados”. Para isso, fiz um contraponto com as idéias defendidas pelos comandos paragramaticais, que são essas iniciativas de “defesa” do “português correto” que vemos nos meios de comunicação. Eles estão representados principalmente nas colunas de grandes jornais e revistas e têm seus consultórios gramaticais, programas de televisão, programas de rádio, sites na Internet, livros do tipo “Três milhões de erros que você deve evitar”, coisas assim. O líder-mor, general Pasquale Cipro Neto, esteve por lá também e deixou guerrilheiros na platéia, o que foi muito bom para a discussão”.

Santiago Nazarian e Daniel Galera

 

*

 

Bônus:

Anúncios

Written by lucasarantes

junho 24, 2008 às 6:19 pm

Publicado em literatura

Tagged with , ,

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. Puxa, queria ter visto você falar… mas quando você vier a Sampa vou fazer você repetir tudo… hehehe!!!! bbcb, Erika

    Erika Riedel

    junho 25, 2008 at 3:09 pm


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: