lucas arantes

http://www.myspace.com/lucasarantes

Archive for dezembro 2009

leituras de férias

leave a comment »

“Nada é muito perigoso para um imortal. Eles sobrevivem de um jeito ou de outro” – Jim Dodge no livro FUP

“Ah, pede-se não enviar flores. Pois como ia dizendo, depois que comecei a cuidar do jardim aprendi tanta coisa, uma delas é que não se deve decretar a morte de um girassol antes do tempo, compreendeu? Algumas pessoas acho que nunca. Mas não é para essas que escrevo” – Caio no livro Pequenas Epifanias.

“Sorrio, então. E quase paro de sentir fome” – Caio em Pequenas Epifanias

Written by lucasarantes

dezembro 30, 2009 at 3:35 pm

Publicado em literatura

Tagged with , , , ,

2010

with 5 comments

em que ano você ficou?

Written by lucasarantes

dezembro 21, 2009 at 5:36 pm

Publicado em literatura

Tagged with ,

o último cigarro

leave a comment »

O último cigarro se foi faz tempo. O gosto de despedida ficou ruim (não era o que esperava do último de uma série de últimos). Deixe-o cair antes de terminar. Não entendo porque ir até o fim se terei que deixá-lo em segundos para nunca mais voltar. Esperava ter uma sensação de saudades, isso é verdade, para guardar em mim a nossa história de bons momentos. Mas a despedida foi ruim. Talvez por isso sempre volto para atestar que nossa história não foi em vão…

Written by lucasarantes

dezembro 17, 2009 at 1:24 pm

Publicado em literatura

Tagged with ,

meditação de final de ano

with 2 comments

Written by lucasarantes

dezembro 17, 2009 at 1:08 pm

Publicado em artes plásticas

Tagged with

suco de placenta… alguêm está servido?

leave a comment »

Written by lucasarantes

dezembro 17, 2009 at 1:03 pm

Publicado em outros

Pessoa

leave a comment »

“Não queiramos que fora de nós fique um único Deus! Absorvamos os Deuses todos! Conquistamos já o mar: resta que conquistemos o céu” Fernando Pessoa

Written by lucasarantes

dezembro 16, 2009 at 12:59 pm

Publicado em outros

grande festa

leave a comment »

SP ESCOLA DE TEATRO PROMOVE O MAIOR CONCURSO DE ARTES CÊNICAS DO BRASIL

Com 1.945 candidatos inscritos, a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco promove o maior concurso para um processo seletivo em Artes Cênicas realizado até hoje no Brasil. “É um momento importante; histórico, eu diria”, comentou Alberto Guzik, Diretor Pedagógico da Escola.

No processo de formação de sua primeira turma, a SP Escola de Teatro oferece, neste primeiro momento, 200 vagas em 8 cursos regulares: Atuação, Cenografia e Figurino, Direção, Dramaturgia, Humor, Iluminação, Sonoplastia e Técnicas de Palco. A primeira fase, realizada no último domingo (13) contou com uma prova dissertativa.

“Não esperávamos receber um número tão grande de inscritos logo no primeiro ano”, comemorava Cléo De Páris, Diretora do Departamento de Comunicação e Ideias da SP Escola de Teatro, referindo-se ao número de concorrentes. “Esta é uma data para se guardar e lembrar daqui a dez anos”, vibrava Sérgio Sálvia Coelho, assessor da Diretoria Pedagógica.

A direção da SP Escola de Teatro realmente tem o que brindar. “Não há na história do teatro brasileiro uma escola de Artes Cênicas que tenha recebido esse número de inscritos. Isso só confirma a importância que a nossa Escola passa a ter para a formação cultural do cidadão brasileiro”, afirmou o Diretor Artístico da Escola, Ivam Cabral.

Written by lucasarantes

dezembro 15, 2009 at 11:02 pm

Publicado em outros

direto de Ribeirão Preto, do blog do Barbassa

leave a comment »

 Califórnia Brasileira mostrando sua verdadeira face…

DO BLOG DO MATEUS BARBASSA


E a balbúrdia continua…
Três adolescentes agrediram um senhor de 55 anos com um tapete de carro, quando o mesmo ia de bicicleta trabalhar, na manhã de sábado.
Os “meninos” era estudantes do curso de MEDICINA numa escola da cidade de Ribeirão Preto.
Porra, novamente adolescentes, novamente estudantes, novamente do curso de Medicina, novamente em Ribeirão Preto?????
Os três “meninos” passavam de carro quando bateram fortemente nas costas do auxiliar de serviços gerais Geraldo Garcia, de 55 anos, xingando-o de “negro, seu negro” . Ele se desequilibrou e caiu da bicicleta machucando a mão, a perna, além das costas que ficaram marcadas pelo tapete de borracha.
Segundo uma testemunha, após acertarem Geraldo, os três fugiram comemorando a queda do auxiliar de cima da bicicleta, rindo.
Um motorista e outros seguranças que estavam no posto em frente ao local do ocorrido e viram as agressões, entraram em outro carro e perseguiram os estudantes até a avenida 9 de Julho, quando conseguiram parar o veículo, chamaram a polícia e os três foram presos acusados de injúria e racismo.
Quando não mais do que de repente sem nem passarem um dia na cadeia, eles foram soltos, como num passe de mágica.
Ora, me desculpem o clichê, mas até quando vai persistir essa barbaridade, essa justiça estupidificada pelo poder do dinheiro????
ATÉ QUANDO?
Entrevistado por um Jornal Local a vítima se diz  espantada e confusa com o ocorrido. “Eu estava indo trabalhar e de repente ouvi eles gritando ‘ô seu negro, ô seu negro’ e senti algo em minhas costas”, afirmou. Com os dedos ralados e as costas marcadas, Geraldo Garcia disse que essa foi a primeira vez em que foi agredido por ser negro. “Isso nunca me aconteceu, estou triste, frustrado. Eu não perturbo ninguém, não fiz nada com ninguém, estava indo trabalhar, isso é o fim do mundo”, desabafou.
É realmente é o fim do mundo como proclamou seu Garcia

Como não concordar com as palavras dele e bradar que realmente isso é o fim do mundo?

Faço questão absoluta de fornecer os nomes do três “meninos”, futuros médicos do nosso BRAZYL:

Abrahão Afiune Júnior, de 19 anos.
Emílio Pechulo Ederson, de 20 anos.
Felipe Grion Trevisani, de 21 anos.


Anotaram?
Esses nomes devemos colocar na mesma lista dos “meninos” da Usp liderados por Lucas Von Zuben que invadiram a Prefeitura da USP aqui em Ribeirão Preto em protesto contra uma determinação que controla festas, bebidas e outras atividades no campus.

É gente pelo visto num futuro não muito distante achar um médico idôneo em Ribeirão Preto vai virar caso de polícia.

Written by lucasarantes

dezembro 14, 2009 at 12:10 pm

Publicado em outros

JP Cuenca

leave a comment »

“em 2009 o sonho não acabou por falta de começo (…) em 2009 a luz no fim do túnel é outro túnel (…) em 2009 eu e você somos estranhos com um passado – e é só isso”  – blog do JP Cuenca

Written by lucasarantes

dezembro 10, 2009 at 10:29 pm

Publicado em outros

Público comenta Suspensão

leave a comment »

Uma das coisas boas de fazer teatro é ver as sensações do público repercutindo depois do término da peça. Caio, do blog Psique Ativa, escreveu um comentário muito interessante da peça Suspensão, que foi apresentada na última terça-feira, em Ribeirão Preto. Em janeiro a peça estreia em São Paulo, com temporada no Teatro dos Satyros Um. Copiei e colei abaixo o comentário do blog do Caio, com ótimas impressões do espetáculo.

Teatro : Um leigo em “Suspensão”:  Uma mistura de influências de atos artísticos das mais diversas ordens: Shakespeare, Quentin Tarantino, Saramago, Nietzsche. Assim é a minha sensação, reflexão de um leigo em Teatro. A Peça em questão é Suspensão, da “Trupe Acima do Bem e do Mal”, grupo de Ribeirão Preto, com texto escrito por Lucas Arantes e dirigido por Mateus Barbassa, com o elenco: Fernanda Lins, Davi Tostes, Ademir Esteves, Maria Angélica Braga, Lucas Chaves. Realmente, o efeito da obra fica em suspensão. Do grau de aturdimento deixado no Inconsciente, o “Consciente” fica tentando amalgamar ideias em torno da causa que gira no decorrer da peça. As texturas experimentadas são de temperos com odores variados, como as sensações noturnas que costumam nos tragar, sensações inquietantes e angustiantes, em torno do motivo principal da peça que é um mundo sem ninguém, só o Avô, o ELE e o ELA. É a necessidade intrínseca à vida que é a necessidade da existência do Olhar do Outro. Nomeado pelo diretor da peça como de influência do Pós-Dramático, o mundo espelhado no palco é de uma morte em busca da vida, ou a vida em busca de uma morte… O impacto do silêncio, da falta de motivos pelo qual se mover, se motivar e se esperançar… O constante apagar das luzes em momentos-chave e a repetição de falas e cenas nas cenas, dão um aspecto cinematográfico à peça.

Written by lucasarantes

dezembro 10, 2009 at 7:59 pm

Publicado em outros